Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘dom aldo pagotto’

Suspensão de padre gera protestos, como diz o Diário de Pernambuco. Segundo a notícia, “[e]ntidades civis organizadas da Paraíba estão se mobilizando para realizar protestos contra a atitude do arcebispo da Paraíba, dom Aldo Pagotto, que proibiu o padre e deputado federal paraibano Luiz Couto (PT) de exercer suas funções de sacerdote”. Pergunta: o que raios estas “entidades civis” têm a ver com a Igreja? Absolutamente nada. Usurpando funções que obviamente não lhes pertencem, “representantes sindicais, de associações e de organizações não governamentais (ONG) planejam atos públicos para a próxima semana”. As opiniões de toda esta caterva, para a Igreja valem absolutamente nada. Acho engraçado a inversão da realidade que esta gente faz: quando a Igreja, no Seu direito, emite as suas posições morais para a sociedade, é ingerência eclesiástica e começam a bradar aos quatro ventos em defesa do “Estado Laico”; no entanto, quaisquer “entidades civis” podem, sem direito algum, fazer protesto e dizer à Igreja como Ela deve governar! É uma piada. Esta gente não merece coisa alguma, a não ser um solene desprezo.

Bispo se solidariza com Luiz Couto. Dom Tomas Balduíno veio em defesa do deputado petista, e disse que o Arcebispo da Paraíba “usou uma pena de vingança” (mas o motivo da vingança, ninguém sabe…). A Comissão Pastoral da Terra também publicou uma moção de apoio a Luiz Couto, dizendo vir “ao público em geral, manifestar seu apoio e solidariedade ao companheiro, padre e Deputado Federal Luiz Couto e repudiar a atitude do Arcebispo Metropolitano Dom Aldo di Cillo Pagoto, em suspender suas atividades religiosas”. Como disse um amigo numa lista de emails da qual participo, e subscrevendo-o integralmente, o meu sonho era ver a CPT julgada pela Inquisição. Já basta desta corja de inimigos da Igreja zombando d’Ela e tomando o lugar dos bons católicos.

Católicos pedem à CNBB que remova Dom Aldo da Arquidiocese paraibana – a cretinice chega às raias do surreal. Como se os leigos pudessem se rebelar assim publicamente contra a hierarquia, e como se fosse da competência da CNBB – e não do Santo Padre pessoalmente – a remoção de bispos! A notícia diz que será organizado “um abaixo-assinado que será encaminhado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pedindo a saída de Dom Aldo da Arquidiocese”. Só falta mesmo a CNBB dá atenção a esta palhaçada. Aliás, seria até bom que ela desse: punindo a todos os “católicos” que ousassem assinar esta porcaria. Mas aí já é sonhar alto demais…

Este blog apóia a atitude de Dom Aldo!

Read Full Post »

Uma notícia muito boa: o deputado petista Luiz Couto que – espantosamente – é também sacerdote católico foi (segundo G1) “afastado da função de padre por defender uso da camisinha”. Deixemos de lado as expressões escolhidas para a manchete, como se ser padre fosse uma “função” da qual alguém é “afastado” como se o é de um cargo público. Também não nos importemos tanto com o fato de que o referido sacerdote deveria ter já sido suspenso quando ingressou na vida política, e não somente agora. Por enquanto, rendamos graças a Deus e alegremo-nos pelo fato.

Reproduzo a Nota Oficial da Arquidiocese da Paraíba, conforme está disponível no Correio da Paraíba, jornal (salvo engano) de João Pessoa:

João Pessoa (PB), 25 de fevereiro de 2009

Nota Oficial

O Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, suspendeu do uso de Ordem o padre Luiz Couto. Ele está impedido de realizar atividades próprias de um sacerdote, como celebrar missas. Abaixo seguem as explicações de Dom Aldo:

“Na edição do dia 25 de fevereiro de 2009, A/4, Política, o Jornal O Norte divulga: “Padre, deputado e adversário do celibato. Favorável ao uso do preservativo, Luiz Couto combate a intolerância e a discriminação a homossexuais, contrariando o Vaticano”.

Preposto à Arquidiocese da Paraíba, vejo-me na grave obrigação de suspender o referido sacerdote do uso de Ordem em nossa circunscrição eclesiástica, porquanto, por suas afirmações sumárias, e enquanto perdurem sem retratação explícita, provoca confusão entre os fiéis cristãos, e contraria “in noce” as orientações doutrinais, éticas e morais sustentadas pela Igreja Católica (Cf. Cânon 1317 CDC)”.

Ita, in fide muneribus,

Aldo di Cillo Pagotto,

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

Então, corrigindo as expressões utilizadas pelo GLOBO: o padre Luiz Couto foi suspenso de ordens pelo Arcebispo da Paraíba. E, aparentemente, não está nem aí para isso, porque, como declarou a G1:

“Eu vou continuar celebrando, posso celebrar na minha casa, com meus amigos, ou seja, o direito de celebrar, a ordem que eu recebi tem um caráter indelével, que ninguém pode tirar. Isso não significa nenhum combate aquilo que a Igreja tem na sua doutrina”, afirma o padre e deputado.

O Correio da Paraíba, na reportagem acima linkada, reproduziu também a matéria original, publicadas pelo Portal Congresso em Foco, na qual o deputado fala as besteiras que provocaram a justa indignação dos católicos. Que Deus nos conceda sempre santos bispos; e nos livre sempre dos maus sacerdotes.

Read Full Post »

– A Arquidiocese da Paraíba divulgou uma contundente nota a respeito da posição da Igreja sobre as “uniões homo-afetivas”. Parabéns a Dom Aldo Pagotto, pela clareza na exposição da Doutrina da Igreja, sem se preocupar com o politicamente correto e sem medo da reação dos militantes gayzistas.

4. Sobre as uniões homo-afetivas, tanto o Estado quanto a Igreja, não reconhecem sua validade e legitimidade, equiparável à formação de uma Família, porquanto claudicam as condições essenciais para a sua finalidade, ou seja, a união fecunda do homem e da mulher, tal que sejam gerados filhos, seguidamente educados e adequadamente formados em ambiente familiar.

5. A respeito de pessoas de condições homo-afetivas, a Igreja entende a complexidade da fenomenologia, que se reveste de inúmeras formas ao longo dos séculos e das civilizações, em contextos culturais variáveis. Apoiando-se nas Sagradas Escrituras, pela Tradição, a Igreja sempre declarou que atos de homossexualismo são intrinsecamente desordenados, porquanto contrariam a lei e a ordem da natureza, pelo fato de fechar o ato afetivo-sexual à transmissão da vida. Não procedem, pois, à complementaridade efetiva e sexual verdadeira, e por isso em caso algum podem ser aprovados.

Camille Paglia, uma conhecida americana, feminista e militante pró-aborto, reconheceu que o aborto é assassinato e, mesmo assim, afirma defendê-lo! É incrível como as pessoas podem perder tão completamente o senso moral. Se, antes, os resquícios de consciência tendiam a mascarar a verdade sob mil máscaras e sofismas, agora parece que a consciência, sufocada e calada, enfim morreu por completo e esta senhora pode afirmar sem rodeios que defende o assassinato de seres humanos indefesos. Se isso não é o fundo do poço, eu tenho medo de até onde nós seremos capazes de ir.

Num artigo sobre a nova candidata republicana a vice-presidente nos Estados Unidos, uma feminista famosa Camille Paglia admite que, assim como a candidata, ela também acredita que o aborto envolve o assassinato de uma vida inocente. Mas ao contrário de Palin, Camille Paglia diz que é uma firme defensora do aborto.

– O Google havia se recusado a vender espaço publicitário na internet para grupos anti-aborto; incrível! É, sem dúvidas, politicamente incorreto ser católico hoje em dia, já que não temos direito nem mesmo de pagar pelos serviços do maior site de buscas do mundo. O Instituto Cristão foi aos tribunais contra o google e ganhou. Os maiores discriminados deste século são os católicos, indiscutivelmente.

O maior site de busca na internet havia recusado servir de montra para a campanha liderada pelos grupos católicos pró-vida. Concretamente, recusou publicar um anúncio intitulado: “Lei do aborto no Reino Unido: Principais pontos de vista e notícias sobre o direito ao aborto na perspectiva do Instituto Cristão “.

Inconformado, o Instituto Cristão (IC) interpôs uma acção contra o Google, tendo o tribunal decidido a favor dos grupos religiosos, anunciou ontem o Times online. O Google foi condenado, ao abrigo da Lei sobre a Igualdade de 2006 – que terá infringido – e foi obrigado a rever a posição.

– Quem conhece Barack Obama? Alguém tomou conhecimento destes dados biográficos do candidato à presidência americana? Alguém soube da apresentação de documentação forjada em sua campanha eleitoral? E da satisfação que o Islam terrorista tem com a sua candidatura? E a FOLHA anuncia que o democrata está na frente do seu adversário…

Read Full Post »