Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘canadá’

Encontrei na internet, nos últimos dias, três tristes notícias sobre casos envolvendo doenças, sofrimento, eutanásia e obstinação terapêutica, onde nem sempre é fácil traçar os limites entre cada uma das coisas. As três, no entanto, foram instrumentalizadas para propagar a cultura da morte.

A primeira delas, sobre o menino britânico doente que os pais perderam na Justiça o direito de manter vivo. Reconhecendo de antemão que não dá para confiar na mídia e que, portanto, posso estar julgando erroneamente o caso, parece-me não obstante que se trata de ortotanásia, onde manter a criança viva – contra todos os prognósticos e com meios desproporcionais – seria um caso de obstinação terapêutica. No entanto, não julgo correto de nenhuma maneira que esta decisão tenha sido tomada pela Justiça, passando por cima da autoridade da família. No caso em pauta, aparentemente, a decisão foi acertada; aberto contudo o precedente, quem garante que a Justiça não vai algum dia “eutanasiar” bebês (relativamente) saudáveis à revelia dos seus pais?

A obstinação terapêutica é grave, mas a julgo muito menos grave do que a eutanásia, por razões óbvias (afinal, um erro na primeira não mata ninguém…). Portanto, a preocupação do Estado deve ser no sentido de proibir esta última, e não de impedir a obstinação terapêutica dos pais.

A segunda notícia, particularmente triste, foi a de uma velhinha de 93 anos, belga, que está fazendo greve de fome para poder se submeter à eutanásia. É triste que exista eutanásia no país, mas é ainda mais triste que esta senhora – que mora em um asilo – encontre-se tão sozinha e tão desamparada, tão sem sentido na vida, que só na morte veja a solução para os seus problemas. A despeito da idade avançada, ela é saudável, já que “não tem uma ‘afecção incurável grave’ nem sofrimentos ‘constantes, insuportáveis e que não possam ser acalmados’, os dois requisitos necessários para que a eutanásia seja legal no país”. É, portanto, apesar da idade, simplesmente uma pessoa com tendências suicidas; aceder-lhes seria abrir um perigoso precedente para que qualquer um, afinal, possa se matar quando bem entender. Aqui não se trata de eutanásia e nem de ortotanásia: é suicídio puro e simples, que deve ser condenado.

A terceira e última notícia sobre a qual gostaria de comentar, é a do hospital canadense que enfrenta uma ação na Justiça por ter mantido com vida um bebê incapacitado. A situação foi curiosa: a garota era mantida viva por meio de aparelhos (de respiração, inclusive). Os pais autorizaram o desligamento, em uma aparentemente correta atitude de recusa à obstinação terapêutica. No entanto, quando estes foram desligados, a garota… passou a respirar sozinha! Necessitava ainda do tubo de alimentação, mas somente dele, de modo que negar-lhe não poderia ser considerado simples ortotanásia. O comitê de ética do hospital, então, em uma atitude heróica, “ordenou que se mantivera a alimentação da bebê, sem consultar aos pais nem aos médicos que originalmente decidiram suspendê-la”. Por causa disso, “enfrenta uma demanda (…) de 3.5 milhões de dólares por ter mantido com vida a uma menina com severas descapacidade sem o consentimento de seus pais”.

A menina, no entanto, teve alta e, hoje, mora com os pais… o hospital, portanto, salvou-lhes a filha! E, em troca, é movida contra ele uma ação milionária…

Os casos com os quais nos deparamos nem sempre são simples. Há, no entanto, e sempre, princípios morais dos quais não se pode abrir mão. Estas três notícias carregam, todas elas, anti-valores, se não nos casos em si, ao menos na forma como eles foram apresentados e na repercussão que tiveram. Importa rezar muito; e seguir, com a Igreja, na defesa incondicional da vida, “desde a concepção até a morte natural”.

Read Full Post »

Apenas registrando, porque já faz mais de uma semana que o Murat comentou: é reconfortante ver a pequena Lia, canadense, de 12 anos, falando contra o aborto; é excelente ver que as novas gerações já não mais engolem os sofismas caducos dos defensores do assassinato de crianças. Há esperança para o futuro, e ela é personificada por esta pequena garota, que teve a coragem de tratar – com tanta desenvoltura! – de um tema tão grave, defendendo uma posição tão estigmatizada.

O vídeo já passou das 450.000 views; é impressionante. O Julio Severo traduziu uma reportagem de LifeSiteNews.com sobre o assunto. A garota deve ser o orgulho da mãe:

A mãe de Lia diz que o assunto foi escolhido pela própria filha, e que ela estava determinada a não ceder, até mesmo depois que os professores lhe disseram que sua apresentação era “adulta demais” e “polêmica demais”.

Que Deus nos conceda gerações e mais gerações de Lias – para a salvação do mundo!

Read Full Post »

Como se não bastasse o caso patológico do prof. Myers, tomei conhecimento de um outro sujeito que colocou vídeos no youtube contendo terríveis profanações eucarísticas. Ainda concedendo que ele utilize hóstias não-consagradas [o que infelizmente é pouco provável, porque ele pôs vídeos nos quais mostra as suas idas à igreja para a obtenção da Santíssima Eucaristia], a simples intenção de ofender a Nosso Senhor e aos católicos gratuitamente merece repúdio.

Não vou colocar os links dos vídeos, primeiro para não dar publicidade a este tipo de porcaria e, segundo, para poupar os leitores do desagradabilíssimo e revoltante espetáculo que o maníaco proporcionou. É ainda válido lembrar que a retenção da Santíssima Eucaristia para fins sacrílegos – que foi exatamente o que este garoto fez, e repetidas vezes – é punida com excomunhão latae sententiae reservada à Sé Apostólica, conforme tipifica o Código de Direito Canônico no seu cânon 1367. Pela alma do infeliz, possuída por sabe-se lá quantas legiões de demônios, só podemos rezar. Mas há outras coisas que podem ser feitas.

A primeira coisa, é assinar esta petição online [entrem, por favor, leva menos de um minuto!] endereçada ao youtube, pedindo a retirada dos vídeos sacrílegos. Provavelmente funciona, já que a retirada de vídeos do youtube acontece com relativa freqüência, mas é fundamental que consigamos mandar o maior número possível de mensagens aos responsáveis pelo conhecido site de vídeos.

A segunda coisa, é avisarmos em nossas paróquias [principalmente se forem paróquias do Canadá, que é o país que o delinqüente coloca no youtube como seu; mas pode ser simplesmente mentira, de modo que é salutar estar atento em todos os lugares] que existem maníacos deste tipo, a fim de que a distribuição da Santíssima Eucaristia nas missas seja feita com o maior cuidado e diligência possíveis.

A terceira coisa, é rezarmos em desagravo, e comungarmos na intenção de reparar estes horríveis crimes e blasfemos sacrilégios dirigidos contra Nosso Senhor Jesus Cristo. Que Deus tenha misericórdia de nós e do mundo inteiro.

P.S.: A Catholic League já publicou uma nota sobre o assunto, em 07 de outubro, dizendo ter escrito ao youtube solicitando a retirada dos vídeos. Vamos nos juntar à famosa liga católica americana para exigir respeito aos direitos de Deus e dos católicos.

Read Full Post »

Que exemplo: Romena dá à luz o seu 18º filho! Firme posição contra os antinatalistas, eloqüente testemunho de vida familiar do qual o mundo tem tanta necessidade. Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras; a foto a seguir basta para refutar os editoriais londrinos et caterva:


[Foto: AP apud G1]

E ela tem só 44 anos. Não parecem ser muçulmanos… ainda há esperança no mundo!

“Nós agradecemos a Deus por todos eles serem saudáveis e felizes.” [Alexandru Ionce, pai da menina]

Sim, felizes. Afinal, há coisa mais feliz do que uma família grande e unida? :-)

Read Full Post »

O Projeto de Lei que tenciona descriminalizar o aborto no Brasil sofreu, em menos de três meses, duas derrotas históricas: uma na Comissão de Seguridade Social e Família, no dia 07 de maio, e outra na Comissão de Constituição e Justiça, no dia 09 de julho. Contudo, no site da Câmara dos Deputados (lado direito), há uma enquete – vigorando de 04/07 a 18/08 – perguntando se “[v]ocê concorda com o projeto que acaba com a criminalização do aborto”! Tamanha insistência é injustificável; mas eles são abortistas e não desistem nunca…

* * *

Ainda sobre enquetes, o pessoal do Globo Online fez uma malandragem invertendo a pergunta da pesquisa! Na reportagem, a pergunta era a seguinte: “Para você, aborto é crime? Vote”. Quando o sujeito clicava, a pergunta da enquete era: “Você é a favor da descriminalização do aborto?”. Ou seja: a resposta “sim, aborto é crime” da primeira pergunta tinha que ser transformada em “não, não sou a favor da descriminalização” entre clicar no link e dar a resposta, senão o sujeito votaria errado!

Uma complicação dessas pode ser chamada de método honesto de se fazer pesquisas? Não, por certo; mas acontece que eles são abortistas, e não desistem nunca…

* * *

Abortista está para ser homenageado no Canadá! Incrível, eles não desistem nunca! Do blog do Wagner Moura:

O maior abortista do país, Dr. Morgentaler, foi indicado para receber a medalha Order of Canada, a maior homenagem cívica do país. A indicação se deu a contra-gosto do Primeiro Ministro do Canadá e pelo menos 22 membros do parlamento são contrários a entregar uma honraria para quem não tem honra alguma, numa celebração inédita pelo “direito” do aborto!

Se você acha que um prêmio desses não deve ser entregue a um sujeito que assassina crianças inocentes e indefesas, faça a sua parte e vote aqui:

http://www.ipetitions.com/petition/MorgentalerAmerican/

Eu já fiz a minha.

* * *

Notícia da BBC: Mulheres usam a internet para fazer abortos. Há um site, o Women on Web, que, pela módica doação de 70 euros, faz tudo: a consulta online, o contato com o médico por email e o envio dos medicamentos abortivos no seu endereço. O objetivo confesso do site é fornecer serviços de aborto nos países onde este é proibido, pois está escrito lá:

O médico apenas poderá ajudá-la se [você]:

  • Viver num país onde o acesso ao aborto seguro é restrito

À pergunta sobre o legalidade disso tudo, responde o site com a maior cara de pau:

É permitido receber medicamentos para uso pessoal na maioria dos países.
[…]
As leis de alfândega, na maior parte dos países, permitem o envio de medicamentos para uso próprio.
[…]
Você é considerada importadora e deve cumprir todas as leis e regulamentações do país no qual receberá a encomenda.

E ainda há uma parte do site contendo testemunhos de mulheres que abortaram. Uma garota chamada “Cah”, brasileira, de 19 anos, conta que fez um aborto. Mostra foto no site. E escreve:

Na época, eu não tinha uma relação estável com meu namorado. E minha família nunca aceitaria uma gravidez minha, que tinha apenas 16 anos. Essers (sic) foram os pricipais (sic) motivos. Além disso, eu não teria condições para criar um bebê com conforto, e ainda queria terminar de estudar e me formar.

Há muitos testemunhos como o dela. Dezenas. Centenas. Isso compadece, revolta, enoja. Os desgraçados não desistem nunca.

Domine, miserere nobis!

Read Full Post »